terça-feira, 9 de agosto de 2016

Governo de Minas vai alugar aeronaves para combater incêndios

Até a primeira semana de agosto, número de focos de calor detectados em Minas já superou o acumulado nos oito primeiros meses do ano passado
http://app.em.com.br/access/noticia_127983242361/792228/62/eq.gifAgosto ainda está no início, mas o mês que abre a temporada de incêndios em Minas já dá mostras do trabalho intenso que o Corpo de Bombeiros tem pela frente. O número de 2.226 focos de calor registrados no estado de janeiro até a semana passada já era 6,9% maior que a soma dos oito primeiros meses do ano passado, quando 2.081 pontos foram computados. O aumento expressivo das chamas – elevação que teve início há cerca de uma semana e que atualmente ameaça pelo menos quatro áreas verdes em Minas – também se reflete nas reservas ambientais. Até o domingo, a quantidade de unidades de conservação atingidas pelas chamas no estado (196) era praticamente a mesma de todo o período de janeiro a agosto do ano passado, quando 198 áreas do tipo se incendiaram. Diante do quadro, o governo do estado reconsiderou a falta de recursos para aluguel de aeronaves, contrato que não tinha previsão de verba há cerca de duas semanas. Mas, mesmo assim, com apenas dois helicópteros para ajudar, o Corpo de Bombeiros, que ontem apagava um incêndio na Serra do Curral, precisou do apoio de uma aeronave da Polícia Militar para controlar o fogo no local.
De acordo com dados da Secretaria de Estado de Meio Ambiente, pelo menos quatro unidades de conservação estavam sendo atingidas pelas chamas ontem. Uma das situações mais críticas era no Parque Nacional da Serra da Canastra, entre São Roque de Minas e Sacramento. Aeronaves e brigadistas tentavam apagar as labaredas que consumiam a vegetação local desde a última sexta-feira. A situação se agrava por causa dos ventos fortes e do tempo seco. A suspeita é de que o fogo seja criminoso.

A situação também era crítica em outros pontos do estado, como no Monumento Natural de Itatiaia, entre Ouro Preto e Ouro Branco, onde uma aeronave da Força-Tarefa Previncêndio (FTP) atuava ontem. Os brigadistas são levados para locais próximos em caminhonetes. Mas, como as chamas estão concentradas em áreas de difícil acesso, tinham de ser levados de helicóptero até os pontos de combate. Aproximadamente 34 agentes estão em ação na área de preservação. Brigadistas também combatiam ontem pontos de incêndio no Parque Estadual Serra do Cabral, em Buenópolis, na Região Central de Minas, onde as chamas começaram no domingo. Outro ponto foi o Parque Estadual Serra de Ouro Branco, onde as chamas se espalharam na noite de domingo e formaram diversas linhas de fogo, que foram debeladas ontem de manhã. A área queimada e as causas do incêndio não foram esclarecidas pelo Instituto Estadual de Florestas (IEF).

Apesar de o fogo já atingir reservas ambientais do estado, o uso de aviões para controlar chamas ainda não vem ocorrendo. Isso porque, de acordo com o diretor de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais da Semad, Rodrigo Belo, mesmo com contrato válido até 27 de agosto para aluguel de 10 aeronaves – já renovado para mais um ano – as demandas ainda podem ser controladas com o uso de helicópteros. “Até duas semanas atrás não tínhamos o recurso para empenhar, mas agora já há verba disponível. O contrato atual é de R$ 12 milhões e assim que terminar, o outro, de R$ 15 milhões, passa a valer para aluguel de aviões e caminhões-pipa”, afirma o diretor. Ele explicou, no entanto, que a mobilização das aeronaves precisa atender a uma distância mínima das pistas de pouso para abastecimento com água. “Se o intervalo entre um avião e outro for superior a 20 minutos, o combate com esse recurso passa a ficar ineficiente”, disse.

Os 10 aviões são modelos Air Tractor – três com capacidade para 1,5 mil litros, cinco para 2,2 mil litros e duas aeronaves para 3 mil litros. Além da distância de pistas de pouso, também são levadas em consideração disponibilidade e eficiência dos aviões em cada tipo e local do incêndio.


Condições meteorológicas favorecem aumento das áreas atingidas (foto: Gladyston Rodrigues/EM/DA Press)
Focos de calor *
Em Minas, de janeiro a agosto de 2012 a 2016

2012    2.463
2013    2.056
2014    3.639
2015    2.081
2016    2.226 (até 7/8)
Aumento de 6,9% em relação
ao período de janeiro a agosto de 2015
* Focos de calor são áreas de elevação de temperatura detectadas via satélite, mas não são necessariamente incêndios
Incêndios em unidades de conservação 
2015     198 (janeiro a agosto)
2016     196 (até 7/8)
Tempo seco
Um dos motivos para o aumento de ocorrências de incêndio em Minas é a baixa umidade relativa do ar. E, se depender das condições climáticas, a situação ainda vai se manter crítica. Não há previsão de chuva para Belo Horizonte nos próximos dias. De acordo com o Instituto PUC Minas TempoClima, as temperaturas devem se manter elevadas até, ao menos, quarta-feira. Ontem, a máxima em BH foi de 30,9 graus. Massa de ar seco que atua sobre Minas Gerais dificulta a formação de nuvens, afastando a possibilidade de chuva e elevando os termômetros. A Coordenadoria Municipal de Defesa Civil (Comdec) emitiu alerta de baixa umidade relativa do ar até o fim da tarde de amanhã. O índice ficou em 25%, o que é considerado estado de alerta pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

 Fonte
http://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2016/08/09/interna_gerais,792228/governo-de-minas-vai-alugar-aeronaves-para-combater-incendios.shtml
 postado em 09/08/2016 06:00 / atualizado em 09/08/2016 07:42


terça-feira, 31 de maio de 2016

SEMANA NACIONAL DO MEIO AMBIENTE



A Semana Nacional do Meio Ambiente começa em 1 de junho e vai até 5 de junho, quando se celebra o Dia Mundial do Meio Ambiente.
Em celebração ao Dia do Meio Ambiente instituído pela ONU, foi criado o Decreto nº 86.028, de 27 de maio de 1981, instituindo em todo o território nacional a Semana do Meio Ambiente.
Esta iniciativa visa incluir a sociedade na discussão de pautas que tratem da preservação do patrimônio natural do Brasil.
Dia Mundial do Meio Ambiente
Esta data foi criada pela Organização das Nações Unidas – ONU, em 15 de dezembro de 1972, durante a Conferência de Estocolmo, na Suécia.
A proposta desta data é chamar a atenção de todos os governos mundiais sobre a necessidade de implantar medidas emergenciais para prevenir a degradação do meio ambiente.
Atividades para a Semana Nacional do Meio Ambiente
O principal objetivo da Semana Nacional do Meio Ambiente é conscientizar a comunidade sobre a importância de preservar os diferentes tipos de ecossistemas. Entre os meios mais utilizados para isso, destaca-se:


  • Palestras nas escolas;
  • Workshops abertos ao público sobre reciclagem doméstica;
  • Apresentação de projetos de eco-sustentabilidade;
  • Coleta de lixo nas praias e parques;
  • Conscientização da população para o consumo sustentável;
  • Plantar mudas de árvores em campos e parques públicos.
  • fonte http://www.calendarr.com/brasil/semana-mundial-do-meio-ambiente/

sexta-feira, 29 de abril de 2016

Nota

Nota

O parque Estadual da Lapa Grande estará fechado neste final de semana 30 e 1 de maio, para manutenção.


E informamos que já no próximo final de semana 7 e 8 de maio a Visita de Uso Publico estará normalizada.

quarta-feira, 27 de abril de 2016

Processo seletivo para a contratação temporária de 10 brigadistas para o Parque Estadual da Lapa Grande

A Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) abriu processo seletivo para a contratação temporária de 377 brigadistas e quatro líderes regionais de brigada para atuarem na prevenção, monitoramento e combate aos incêndios florestais em Minas Gerais.
A inscrição é gratuita e pode ser feita até o dia 2 de maio, exclusivamente pela internet, no endereço eletrônico www.meioambiente.mg.gov.br, link Processo Seletivo Simplificado Brigadistas 2016.
O contrato temporário tem duração de quatro meses, podendo ser prorrogado, carga horária de 40 horas semanais e salário base que varia de R$ 880 a R$ 1.760, mais benefícios. Os novos brigadistas vão integrar a Força Tarefa Previncêndio do Estado e reforçar as equipes que trabalham nas unidades de conservação do Estado.
A distribuição dos brigadistas é estratégica e, segundo o superintendente de Controle e Emergência Ambiental da Semad, Bruno Malta, leva em consideração localidades que tiveram maior incidência de incêndios no período de estiagem do ano anterior.
“Com essa logística e o treinamento dos brigadistas, a gente espera ter a primeira resposta no combate aos focos bastante efetiva e evitar que as ocorrências se tornem grandes incêndios”, afirma.
O Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sisema) dispõe atualmente de dois helicópteros e quatro aeronaves de asas fixas para apoio e combate direito aos incêndios florestais.
Segundo Bruno Malta também está em andamento a aquisição de equipamentos de proteção individual, que serão utilizados pelos brigadistas, como gandolas, botas, óculos e equipamentos de combate (sopradores costais a gasolina, abafadores).
Foto: Arquivo Sisema
250416
Os novos brigadistas vão integrar a Força Tarefa Previncêndio do Estado e reforçar as equipes que trabalham nas unidades de conservação do Estado
Processo seletivo
Para concorrer à vaga de brigadista basta ter ensino fundamental incompleto. Para ocupar o posto de líder regional de brigada é exigido o ensino médio completo. Além disso, o candidato deve ter idade mínima de 18 anos, ser brasileiro nato ou naturalizado, estar em dia com as obrigações militares e eleitorais.
No ato da inscrição online os candidatos a brigadista e a líder de brigada deverão anexar cópia dos seguintes documentos:  atestado médico, comprovando aptidão para realização de atividade física; carteira de Identidade com foto, frente e verso.
Também é preciso anexar o certificado/declaração de brigadista de prevenção e combate a incêndios florestais, emitido entre 2008 e 2016 por entidades públicas, organizações não governamentais ou escolas de formação de brigadistas. O documento deve estar assinado por representante da instituição, com carga horária mínima de 24 horas.
A lista ainda inclui a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) na categoria B, obrigatória para o candidato a líder de brigada, assim como a declaração de experiência em operações de combate a incêndios florestais, emitida entre 2008 e 2016, por entidades públicas, privadas ou organizações não governamentais, se houver.
Além dos documentos acima, o candidato a líder regional precisa anexar o comprovante de escolaridade de nível médio, comprovante de conclusão de educação profissional técnica de nível médio ou superior na área de meio ambiente, com carga horária mínima de 800 horas.
Etapas
O processo seletivo simplificado será em três fases para brigadistas e quatro para líder de brigada. A primeira etapa inclui a análise e comprovação dos documentos originais. Na segunda, os classificados farão um curso de formação de brigada Previncêndio, com duração de 32 horas, onde o candidato precisará ter, no mínimo, 60% de aproveitamento.
A terceira fase consta de teste de aptidão física e de habilidade para o uso de ferramentas agrícolas. Na última etapa, os líderes de brigada passarão por uma entrevista.
Vagas
As vagas estão distribuídas em 48 unidades de conservação. Nas Áreas de Proteção Ambiental (APAs) Cochá e Gibão (12), Rio Pandeiros (6), Serra do Sabonetal (12), São José (6), Sul (10), Cachoeira das Andorinhas (6), Águas Vertentes (12), Fernão Dias (6), Alto Murcui (12) e Rio do Machado (6).
Também estão abertas vagas na Reserva de Desenvolvimento Sustentável (REDS) Veredas do Acari (10) e nos Refúgios Estaduais de Vida Silvestre (REVS) do Rio Pandeiros (6) e Serra das Aroeiras (6). Para a Estação Ecológica (EE) Acauã (6), Floresta Estadual do Uaimii (6) e para os Monumentos Naturais (MN) Gruta Rei do Mato (6), Itatiaia (6) e Pico do Ibituruna (6).
Os Parques Estaduais que receberão reforço com o preenchimento de vagas são Serra das Araras (10), Lagoa do Cajueiro (6), Verde Grande (6 ), Mata Seca (6 ),  Veredas do Peruaçu (6), Serra do Sobrado (6), Semidouro (6), Serra do Cabral (12), Serra do Brigadeiro (12), Mata do Limoeiro (6) e Serra do Ouro Branco (6).
Ainda estão na lista os Parques Estaduais Serra Verde (6), Itacolomi (6), Biribiri (12), Serra do Intendente (6), Rio Preto (7), Serra Negra (6); Itambé (6), Serra do Papagaio (12), Serra da Boa Esperança (6), Grão Mogol (10), Serra Nova (10), Caminho das Gerais (10), Lapa Grande (10), Sete Salões (6), Serra da Candonga (6).
Para cada uma das sub-bases operacionais da Força Tarefa do Previncêndio em Belo Horizonte e Januária serão destinadas 12 vagas de brigadistas e uma de líder de brigada. Já a sub-base operacional de Diamantina e o Centro Integrado Rio Doce estão, respectivamente, com 6 vagas abertas para brigadistas e uma para líder de equipe.
Mais informações sobre o edital no Diário Oficial de Minas Gerais (www.iof.mg.gov.br), edição de 25 de abril, páginas 53 a 55.
Agência Minas
fonte http://www.meioambiente.mg.gov.br/

quarta-feira, 20 de abril de 2016

FECHADO NESTE FERIADO 21 DE ABRIL 2016


POR MOTIVO DE LOGÍSTICA O PARQUE ESTARÁ FECHADO NESTE FERIADO 21 DE ABRIL DE 2016 E NOS DIAS 22, 23, 24 CONSECUTIVOS.